Reunião do COMEX recebe Fabiano Coelho, delegado da Alfândega da RFB em Viracopos

O CIESP Jundiaí, por meio do departamento de Comércio Exterior (COMEX), promoveu a reunião mensal do grupo com a participação do Delegado da Alfândega da Receita Federal do Brasil em Viracopos, Fabiano Coelho. O encontro, coordenado por Marcio Julio Ribeiro (diretor de Comex), Cileide David (diretora adjunta) e Gilson Pichioli (diretor de Infraestrutura Logística), reuniu quase 70 pessoas, profissionais da área que atuam nas empresas em Jundiaí e Região. “Jundiaí tem uma série de empresas muito importantes e atuantes no mercado internacional e a presença da Receita Federal do Brasil é fundamental para estabelecer esse diálogo com o nosso grupo”, ressaltou Cileide, que foi quem articulou para que Fabiano participasse desta reunião.

O diretor Marcio Julio Ribeiro, falou sobre a situação do mercado aéreo e marítimo mundial. “Os portos estão preparados para atuar numa determinada quantidade de navios. Quando temos um represamento, não conseguimos tirar o atraso, pois o atraso está vinculado à variável na capacidade do porto em operar na capacidade de contêineres e de navios”, explicou, reforçando que o comércio internacional ainda vem sofrendo alguns impactos por conta da pandemia e do encalhamento do navio no Canal de Suez. “Já estamos verificando uma melhora nos valores de frete da Ásia e por uma questão de compliance, nós não falamos em preços e sim em tendência. É importante verificarem que algumas reduções estão aparecendo, especialmente nos embarques marítimos”, avaliou, reforçando que acha difícil ter alguma melhora nos fretes aéreos, pelo menos até o final de junho.

Sobre o modal Rodoviário, Marcio anunciou que o mercado está percebendo um aumento de preços, no Mercosul. “Houve uma greve que se encerrou ontem, na fronteira da Argentina com o Brasil e Chile: entre as pautas, vacinação para caminhoneiros, o procedimento de transferência de carga em Uruguaina e, na fronteira do Chile com Argentina, a questão dos valores de frete, por conta da tentativa do governo em tabelamento de frete”, destacou.

A reunião também trouxe informações sobre as mudanças e alterações na legislação do setor e que impactam o dia a dia das empresas, com o advogado aduaneiro, Diego Joaquim. Resoluções, portarias e instruções normativas do período de 20 de março a 27 de abril. “Estas atualizações podem impactar diretamente o dia a dia dos profissionais e empresas da nossa região e que atuam no mercado internacional. Estou fazendo uma rápida apresentação, mas, baixando o arquivo cada empresa pode se aprofundar nas questões pertinentes ao seu negócio”, comentou.

“Esse resumo facilita muito a nossa vida. Os profissionais que atuam no dia a dia do comércio exterior, muitas vezes, não tem tempo para acompanhar todas as mudanças que ocorrem diariamente”, comentou Cileide David, diretora adjunta de COMEX, do CIESP Jundiaí. Para baixar a apresentação de Diego, clique aqui.

Em sua participação, Fabiano falou sobre os desafios e conquistas da facilitação comercial em Viracopos. “O envolvimento do setor privado nas soluções tem sido o nosso maior ganho. É por isso que estamos aqui hoje, abrindo mais um canal para conversar e trocar informações”, ressaltou, agradecendo o convite. “A legislação do comércio internacional que existe no Brasil é da década de 1960. Agora vocês imaginem fazer o controle deste comércio internacional no século 21, com uma legislação de meados do século passado? Temos limitações que precisam ser vencidas para melhorarmos a competitividade do comércio internacional”, reforçou.

Fabiano Coelho: buscar soluções em conjunto com o setor privado

Fabiano defende estabelecendo prioridades, vamos trabalhar em conjunto para buscar solução para as questões. “Estamos promovendo algumas implementações que vem trazendo resultados bastante positivos. Temos um histórico em Viracopos de dezenas de soluções que conquistamos a partir das nossas reuniões mensais que reúnem diferentes players do mercado, no sentido de viabilizar operações, tornando-as mais fluídas e com o mesmo nível de segurança, atacando os gargalos e as restrições que são apresentadas: tudo isso na busca conjunta de soluções”, explica.

As melhoras, segundo Fabiano, já são visíveis nos âmbitos Receita Federal, Mapas, Anvisa, Operador Aeroportuário, Despachante Aduaneiro. “Esta tem sido uma estratégica bastante efetiva nos últimos anos e percebemos melhorias com redução drástica do tempo médio de despacho nos canais de importação vermelho e amarelo, melhoria em novos serviços oferecidos no aeroporto, como o conceito de aduana 24×7″, ressaltou, anunciando que no mês de março, Viracopos passou de 40 mil declarações de importação registrada somente no nosso perímetro. “Somos a segunda maior alfândega do Brasil na quantidade de trânsito aduaneiro no Brasil”, destacou.

Fabiano também aceitou o convite para participar da Reunião do Comex do mês de junho para falar sobre OEA (Operador Econômico Autorizado). Para baixar a apresentação de Fabiano Coelho, clique aqui.

Os diretores e participantes do encontro ressaltaram como as mudanças implantadas pela Receita Federal em Viracopos melhorou o trânsito das operações e a comunicação da RFB com as empresas. 

Cíntia Souza – Assessoria de Comunicação CIESP Jundiaí

Comente