Encontro do Verbo Mulher debateu os impactos sofridos pela mulher na pandemia

O encontro do Verbo Mulher do mês de março debateu os impactos sofridos pela mulher na pandemia.

A palestrante foi a Doutora em Economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2005)  e Pós Doutorado no Instituto Superior de Economia e Gestão – ISEG – Universidade de Lisboa, PT 2013. Professora Titular dos Programas de Pós-graduação em Economia do Desenvolvimento e Serviço Social da PUCRS, Izete Pengo Bagolin.

Sobre a mulher na pandemia ela trouxe o resultado de algumas pesquisas mostrando que as mulheres preparam melhor os países contra a pandemia; além disso estados indianos com maior participação de mulheres na formulação de políticas públicas, têm maiores investimentos em infraestrutura que atende necessidade das mulheres.

Prof. Dra. Izete também apresentou pesquisas mostrando o grande número de mulheres que atuam nas áreas da Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática.  Inclusive 71% dos cargos de pesquisador científico do Butantan são ocupados por mulheres. 

Mas, infelizmente, a pandemia também impactou mais negativamente a vida das mulheres. 7 milhões tiveram que deixar o mercado de trabalho no Brasil. O dado foi levantada pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua.
A pandemia também vai deixar o mercado de trabalho mais difícil para as mulheres.

De acordo com matéria publicada no Jornal O Globo e destacada pela palestrante, “novos dados da ONU confirmam que a pandemia vai custar uma década de progresso econômico para as mulheres na América Latina.”

 

Comente