A Campanha Outubro Rosa e seus reflexos na indústria

Conceito prevencionista trabalhado nas empresas durante o ano pode favorecer e estimular o autoexame da mama, facilitando o diagnóstico em casos de câncer

Pode não parecer, mas a campanha Outubro Rosa, estabelecida no Brasil desde 2002, é capaz de influenciar o ambiente de trabalho em diversos setores, inclusive no setor industrial. Isso porque as ações de conscientização sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama acabam estimulando as pessoas a fazerem exames ou a incentivar que seus familiares façam.

“Essa campanha tem importância fundamental, porque é muito difícil uma empresa 100% com um funcionário 50%, e prevenir é sempre o melhor caminho”, afirmou Marcelo Barreto, engenheiro de segurança do trabalho da empresa CPEA HSE, associada ao Ciesp São Carlos.

A iluminação rosa em vários monumentos por toda a cidade chama a atenção. E, atualmente, as iniciativas vão para além da decoração; muitas empresas mandam fazer lacinhos cor de rosa para usar nas roupas ou até confeccionam camisetas para lembrar da importância da prevenção.

pessoas-vestem-camisa-rosa-pela-campanha-Outubro Rosa

Empresa associada ao Ciesp faz camisa para a campanha Outubro Rosa

“Nós defendemos justamente esse conceito prevencionista, ou seja, o trabalho deve sempre ser desenvolvido de uma forma segura. Da mesma forma que o funcionário foi para o trabalho, ele deve voltar para casa: íntegro e, de preferência, feliz”, disse Barreto.

História

O movimento conhecido como Outubro Rosa nasceu na década e 1990 para estimular a participação da população no controle do câncer de mama. A data é celebrada anualmente com o objetivo de compartilhar informações sobre a doença, promover a conscientização, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade.

treinamento-preventivo-cpea-hse

Treinamento estimula comportamento prevencionista para evitar acidentes nas indústrias

No Brasil, as campanhas de conscientização sobre o câncer de mama são realizadas desde 2002. Ainda assim, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), só neste ano 59,7 mil novos casos de câncer de mama devem ser registrados no país. Daí a importância do reforço à prevenção.

“Nosso intuito é criar uma consultoria que zela pelo trabalho do empregado e pela empresa de referência, de modo que o empregador possa lapidar e executar o seu estilo de atividade em prol da saúde do trabalhador”, informou o engenheiro de segurança do trabalho do CPEA HSE, empresa estabelecida no Centro de São Carlos.

Exemplo

Para Marcelo Barreto, o colaborador que se destaca por ter uma vida saudável e cuida da própria saúde passa a ser referência para outros colaboradores. “A mulher que faz exames com frequência torna-se líder e pode conduzir outras pessoas a tratar de sua saúde de maneira antecipada”, defendeu.

Nesse sentido, estimular o autoexame e as diversas formas de prevenir a doença traz reflexos positivos para vários âmbitos da saúde. “Quando a pessoa vai para a empresa vivenciar as regras de segurança e medicina do trabalho, já estará preparada para ser uma pessoa preventiva e ter o olhar atento também no ambiente de trabalho, explicou.

treinamento-da-cpea-hse

CPEA HSE defende conceito prevencionista durante treinamentos

Como prevenir

Segundo o Inca, cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis como:

  • Praticar atividade física regularmente;
  • Alimentar-se de forma saudável;
  • Manter o peso corporal adequado;
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Amamentar. 

Serviço

Mulheres de 50 a 69 anos devem realizar mamografia de rastreamento a cada dois anos. O Sistema Único de Saúde (SUS) garante a oferta gratuita de exame de mamografia para as mulheres brasileiras em todas as faixas etárias.

Outras informações, tais como os principais sintomas do câncer de mama e a detecção precoce, podem ser obtidas no site do Inca.

Comente