Nova CPMF é marquetagem, diz Skaf, em entrevista à Folha de S. Paulo

Presidente da Fiesp defende unificação de tributos federais. Em sua opinião, criação de imposto único, nos moldes da CPMF, é marquetagem

Agência Indusnet Fiesp

Em entrevista concedida ao jornal Folha de S. Paulo, publicado no on-line ontem e hoje (25/7) no impresso, o presidente Paulo Skaf, da Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), criticou a criação de um imposto único, semelhante à antiga CPMF, uma enganação e marquetagem que incidiria sobre cada operação financeira. “É se enganar. É uma certa tapeação”, afirmou, na entrevista.

Na avaliação de Skaf, faz mais sentido juntar impostos federais num único tributo com alíquota menor, deixando de fora, em um primeiro momento, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), um imposto estadual. Isso facilitaria a aprovação no Congresso [da reforma tributária].

“O objetivo da reforma tributária deve ser simplificar, agilizar, baratear os processos e fazer com que a gente tenha isonomia em relação a outros países. A carga tributária não pode ser um impedimento da competitividade brasileira”, afirmou, e essa proposta será levada ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e a líderes do Congresso.

Leia a matéria na íntegra, clicando aqui.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1564408038

Comente