Inicio do conteudo

Veja o que muda na agenda de comércio exterior com a criação do novo Ministério da Economia

Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior da Fiesp lança material exclusivo sobre a formação da Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais

Mayara Moraes, Agência Indusnet Fiesp

Em janeiro, o governo publicou o decreto que estabelece a estrutura do Ministério da Economia, criado pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro. O novo órgão não vem sendo chamado de “Super Ministério” à toa. Estão sob sua supervisão 7 Secretarias Especiais, 2 Secretarias-Executivas, 17 Secretarias, 1 Subsecretaria-Geral, 39 Subsecretarias, 35 Departamentos e 6 Diretorias. A nova estrutura regimental reúne, no total, 107 repartições e 4 modalidades diferentes de organismos, que abrangem entre outras instituições, a Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, que assume uma série de atribuições, até então, repartidas entre distintos órgãos, como a Câmara de Comércio Exterior (CAMEX), a Secretaria de Comércio Exterior (SECEX) e a extinta Secretaria de Comércio e Serviços (SCS).

Preparamos um material para que você conheça a estrutura e as atribuições da nova Secretaria de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais e entenda o que muda na gestão e na implementação da agenda de comércio exterior com a definição do Ministério da Economia. O infográfico que você confere logo abaixo apresenta os principais destaques de uma Nota Técnica preparada pelo Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior  sobre a formação da nova Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1553095390