Skaf vai com empresários e trabalhadores levar a Temer propostas para acelerar a retomada do crescimento

Medidas incluem destravamento do crédito e elevação do número de parcelas do seguro-desemprego

Agência Indusnet Fiesp

O presidente Michel Temer vai receber no Palácio do Planalto dia 12 de setembro, às 11h30, um grupo de representantes de empresas e trabalhadores para ouvir propostas e curto prazo para aproveitar os sinais positivos da economia brasileira e acelerar o processo de retomada do crescimento. O anúncio da reunião com Temer foi feito por Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Ciesp, depois de um almoço nesta terça-feira (22 de agosto) com representantes de centrais sindicais e empresários.

Skaf destacou a união demonstrada no encontro em relação à necessidade de retomada do crescimento, com a consequente recuperação do emprego, fortalecimento das empresas e retomada da arrecadação para os governos –sem aumentos de impostos. “Buscamos pontos convergentes, que poderiam no curto prazo ajudar o país a retomar o crescimento”, afirmou Skaf, dando como exemplos o destravamento do crédito e a retomada das obras paradas, o que aceleraria a cadeia da construção civil, grande empregadora. E o seguro-desemprego, atualmente pago durante 5 meses, poderia ser estendido a 7 meses, “para dar um fôlego um pouco maior, pensando nas pessoas”.

“Fizemos uma ligação ao presidente da República, que nos atendeu e marcou uma reunião onde todos nós, centrais sindicais, entidades representativas da agricultura, da indústria, do comércio, dos serviços, grandes empresas, médios setores – enfim, um grupo altamente representativo – levaremos essas sugestões.”

A economia brasileira está dando sinais positivos, disse o presidente da Fiesp e do Ciesp. “É hora de jogar um catalisador nisso, acelerar esse processo de retomada do crescimento e combater o desemprego. Temos que aproveitar essas faíscas para criar um incêndio positivo, de crescimento, de geração de empregos.”

“Estávamos como brasileiros em volta de uma mesa para pensar o Brasil, pensar o que fazer para o Brasil retomar o crescimento, o emprego, a geração de riquezas e em como dar oportunidades para milhões de jovens que entram no mercado de trabalho todos os anos e para os que estão desempregados.”

Em entrevista coletiva após o almoço, no prédio da Fiesp, Skaf voltou a criticar a discussão da troca do indexador para empréstimos do BNDES da TJLP para a TLP. “É inoportuno”, disse. “Há outras prioridades, e isso não está na agenda brasileira. Precisamos estimular investimentos, e essa mudança sinaliza aumento do custo de investimento.”

Almoço na Fiesp que reuniu empresários e dirigentes de centrais sindicais. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp