Inicio do conteudo

Sesi-SP tem 32 nomes em Lima para os Jogos Pan e Parapan-Americanos

Na delegação paralímpica, a instituição aparece como a equipe que mais contou com atletas convocados

Por Amanda Demétrio, Núcleo de Comunicação

Os Jogos Pan e Parapan-Americanos de Lima, no Peru, contam com 32 atletas do Sesi-SP  na disputa por medalhas em doze modalidades. Em um pouco mais de um mês de competições, o cenário esportivo terá a participação de cerca de 10 mil atletas de diversos países em ação.

E o Sesi-SP tem um papel importante dentro deste cenário. Desenvolvendo 20 modalidades, sendo 14 olímpicas e 6 paralímpicas, além do trabalho com o programa Atleta do Futuro, a instituição é pioneira no trabalho de formação esportiva e na revelação de novos talentos para a seleção brasileira.

O Brasil levou para Lima delegação de 486 atletas, com foco principalmente na busca de classificações olímpicas para os Jogos de Tóquio, em 2020. Em 22 modalidades, o megaevento continental conta com vagas diretas ou com a soma de pontos no ranking. Entre esses nomes, 15 são do Sesi-SP.

Os Jogos Pan-Americanos 2019, que retornaram para a América do Sul 12 anos após os Jogos de 2007, realizados no Rio de Janeiro, reunem nesta edição cerca de 8 mil atletas, de 41 países, competindo até o dia 11 de agosto.

As equipes brasileiras contam com uma atleta do Sesi-SP na luta olímpica (Aline Silva), um do judô (Renan Torres), duas da natação (Etiene Medeiros e Daynara de Paula), dois do triathlon (Manoel Messias e Luísa Baptista), duas do basquete feminino (Débora e Aline), dois do vôlei masculino (Éder e Lucas Lóh), e cinco do polo aquático (Mirela, Rudá, Gustavo Coutinho, Bernardo Reis e Roberto Freitas). Além dos técnicos da natação e triathlon, Fernando Vanzella e Eduardo Braz e do preparador físico do polo aquático, Renan Rossin.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1575995394

Cerca de um mês depois será a vez dos paralímpicos estrearem em ação. Os jogos Parapan-Americanos começam no dia 23 de agosto e seguem até 12 de setembro. E, para Lima, o Brasil terá sua maior delegação de uma edição de Parapan-Americanos. O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) reuniu um grupo de 337 atletas, superando os 272 atletas de Toronto, maior número até então. E o Sesi-SP aparece como a equipe que mais teve atletas convocados.

Nomes como Evelyn Oliveira e Antônio Leme, da bocha paralímpica e Rogério Jr. do parabadminton aparecem na lista que ainda conta com Lucas de Sousa Lima, do atletismo paralímpico, Josemarcio Souza, Ana Gabriely Brito, Gleyse Portioli e Victoria Amorim, do goalball, Daniel Yoshizawa, Fabricio da Silva, Leandro Santos, Renato Leite, Wellington Platini, Edwarda Dias, Gizele Costa Dias, Laiana Batista e Nathalie Filomena do vôlei sentado. Além dos técnicos Diego Colletes (goaball), Celio César (vôlei masculino), Ana Carolina Lemos (bocha) e os calheiros Roberto Ferreira e Raquel Gonzaga.

E para 2019, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) definiu mais uma vez a meta de conquistar o lugar mais alto do pódio no quadro de medalhas. Nas últimas três edições do evento, Rio 2007, Guadalajara 2011, e Toronto 2015, a melhor campanha geral foi brasileira. De olho nessa meta, Evelyn Oliveira segue 100% focada para a missão.

“Foram muitas fases de treinamento com a seleção. Este será meu primeiro Parapan, estou ansiosa, mas me preparei bastante. Quando foram divulgadas as medalhas de Lima, imprimi fotos e coloquei também de plano de fundo do meu celular, para trabalhar o objetivo”, disse a paulista campeã da bocha paralímpica em pares da classe BC3 nos Jogos Paralímpicos Rio 2016. Enquanto uns estreiam no torneio, o Sesi-SP conta com a melhor levantadora das paralimpíadas, intitulada nos Jogos Rio 2016, Gizele da Costa Dias, seguindo para sua terceira participação em Parapan.

Os Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019 contarão com aproximadamente 1.890 atletas, de 33 países, em 17 modalidades: atletismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, ciclismo, futebol de 5, futebol de 7, goalball, halterofilismo, judô, natação, rúgbi em cadeira de rodas, tênis em cadeira de rodas, tênis de mesa, voleibol sentado e para esta edição, o parabadminton, parataekwondo e tiro esportivo também entram no calendário de provas.

Assim como no Pan, o Parapan também dará vaga direta para os Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 em quatro modalidades: basquete em cadeira de rodas (os três primeiros no masculino e campeão e vice no feminino), rúgbi em cadeira de rodas (campeão), tênis em cadeira de rodas (uma vaga no feminino e uma no masculino) e vôlei sentado (os quatro primeiros do feminino e do masculino).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1575995394