Inicio do conteudo

Programa “Nossa Casa” busca parceria com setor privado para construção de unidades habitacionais

Parceria Público-Privada e subsídios públicos permitirão valor social na hora do financiamento

Cristina Carvalho, Agência Indusnet Fiesp

A reunião plenária do Departamento da Construção e Mineração (Deconcic) desta segunda-feira (11/11) recebeu Flávio Amary, secretário de Habitação do Estado, que tratou do programa “Nossa Casa” voltado à construção de unidades do CDHU para a população de baixa renda. “Queremos menos Estado e mais parceria do setor privado. Temos 7 mil unidades do CDHU para credenciamento de empresas privadas, que tenham o interesse em habitação e investimento social. Esse é o programa que tem a diretriz de trazer a iniciativa privada para participar do processo”, disse, destacando que “os empregos que precisam ser gerados estão no setor da construção e do segmento imobiliário”.

O Programa “Nossa Casa” aproveita os terrenos públicos livres, com viabilidade econômica e disponíveis na malha urbana nas esferas municipais, estaduais e até da União para construção de unidades residenciais, beneficiando famílias com faixa salarial de até três salários mínimos.

Amary ressaltou, ainda, que o orçamento mais restritivo imposto para 2020 não representará grandes problemas para viabilizar novas contratações desde que existam projetos prontos e bem estruturados.

Flávio Prando, coordenador do programa “Nossa Casa” também esteve presente na reunião e apresentou dados do setor de habitação. No Estado, o déficit habitacional atinge 1,3 mil famílias; 60% pagam aluguel e mais de 30% da renda dessas famílias custeiam essa despesa.

“Através do programa queremos migrar para uma situação de valor de parcela para nível do aluguel ou até mesmo inferior. Vamos praticar o preço social. Parte das unidades feita pelas construtoras serão entregues a preço social. Somando a isso, há dois subsídios sociais possíveis, o Federal (MCMV) e o Estadual (Casa Paulista). Assim, o valor financiado ficará entre R$ 50 mil até R$ 30 mil. Já o valor da prestação, ficará entre R$ 200 e R$ 400, sendo destinados a essas famílias com renda de até três salários mínimos”, contou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1576021062

Foto: Karim Kahn/Fiesp