Inicio do conteudo

Petróleo e Gás: potencial paulista pode ser convertido em riqueza com articulação dos setores, diz 1º vice-presidente do Ciesp

Primeiro vice-presidente do Ciesp participou da abertura do congresso Campetro 2014, em Campinas

A cada bilhão de reais investidos na cadeia do Petróleo e Gás no país, o estado de São Paulo captura de forma direta e indireta R$ 400 milhões, resultando na geração de nove mil postos de trabalho no estado.

Mas o verdadeiro potencial paulista, de acordo com o vice-presidente da Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Rafael Cervone, só poderá ser aproveitado plenamente se houver uma articulação legítima de empresas e instituições envolvidas no setor.

Cervone abriu o congresso Campetro – Campinas Oil & Gas, na cidade do interior, sobre oportunidades de negócios e investimento no setor. A iniciativa é do Ciesp e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), por meio do Comitê da Cadeia Produtiva do Petróleo e Gás (Competro) desta entidade.

“Todo esse potencial pode ser convertido em riquezas e desenvolvimento de tecnologia se houver uma excelente articulação”, disse Cervone.

Segundo ele, o Ciesp apoia as ações do Competro, criado em 2011, ao atender mais de 42 diretorias regionais e fazer interlocução dessas regiões com a Petrobras no que diz respeito a oportunidades de investimento e negócios.

Para José Nunes Filho, diretor do Ciesp Campinas, encontros como o Campetro estão em linha com a vocação da cidade em inovação e tecnologia.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1594430226

1º vice-presidente do Ciesp, Rafael Cervone, participa da abertura do congresso. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

“Temos a maior refinaria, que é a Replan, e demanda por serviços e produtos. Vemos grande oportunidade de gerar riquezas, emprego, desenvolvimento regional”, afirmou Nunes.

Até esta quarta-feira (05/11), o Campetro conta com palestras sobre novas tecnologias e perspectivas para o setor de Petróleo e Gás, além de rodadas de negócio e salas de crédito.

A diretoria do Ciesp-Campinas prevê que a rodada de negócios movimente cerca de R$ 20 milhões em um período de seis meses. O evento conta ainda com uma feira de exposições de produtos e uma demonstração da escola móvel de Robótica Subaquática do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP).

O diretor do Ciesp Campinas acrescentou que o objetivo do Campetro é estimular a cadeia com troca de experiências sobre tecnologias e discussões sobre as principais demandas do setor.

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp, de Campinas (SP)