Inicio do conteudo

Nota oficial: elevação da taxa de juros a 11,25% é uma ameaça ao emprego

Nota oficial

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) divulgou na noite desta quarta-feira (29/10) a elevação da taxa básica de juros, a taxa Selic, em 11,25% a.a.

A economia está estagnada e o Produto Interno Bruto (PIB) crescerá pouco acima de zero. A elevação da taxa Selic não só impede qualquer tipo de retomada da atividade econômica no curto prazo, como também derruba ainda mais a confiança de empresas e consumidores, fator este preponderante para retomada futura, pois sem confiança não há investimento.

Para 2014, por exemplo, a Fiesp e o Ciesp projetam forte recuo em cerca de 7% para o investimento.

“Colocar toda a responsabilidade do combate à inflação na taxa de juros vem se mostrando uma estratégia equivocada, uma vez que está pondo em risco o maior patrimônio da economia brasileira atual, que é o emprego”, afirma Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Ciesp.

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a geração líquida de empregos formais mostrou contração em torno de 37% entre janeiro e setembro deste ano frente ao mesmo período de 2013, a queda mais expressiva desde 2009. A indústria paulista já fechou 38 mil postos de trabalho este ano.

Como se não bastasse, a inflação está estourando o teto da meta. “Está cada vez mais evidente que o modelo atual se esgotou. O Brasil precisa urgentemente de uma nova política econômica, baseada no controle do gasto público, para que possamos obter baixa inflação e alto crescimento econômico”, conclui Skaf.

Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)

Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp)