Inicio do conteudo

Internet das Coisas e Indústria 4.0 são destaque em reunião do Detec

Tendências são apresentadas como ferramentas importantes para a inovação tecnológica

Aplicações de Internet das Coisas (IoT) e Indústria 4.0 foram os temas de destaque da reunião extraordinária realizada pela Diretoria de Tecnologia e Inovação (Detec) do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), nesta quinta-feira (20/07), na sede da entidade. O encontro contou com a presença do diretor titular do Detec, Rolf Sitta, e foi coordenado pelo diretor adjunto Antônio Valério.

O engenheiro Ângelo Fares, diretor da Concert Technologies, começou sua apresentação explicando que a IoT está fundamentada em pegar dados e transformar em informação e comentou sobre as cadeias de valor da internet das coisas. “Todos os grandes (empresas) falam de IoT, sem exceção. Não só estão falando, como também fazendo. A IoT tem uma diferente perspectiva para diferentes atores”, disse.

Segundo o diretor comercial da Arrow, Adilson Mulha, o maior desafio dos profissionais de TI é transformar as coisas em algo tangível. Ele falou sobre as megatendências que englobam hiperconvergência, mobilidade, segurança, big data, IoT e cloud, e citou o que as grandes empresas de tecnologia têm desenvolvido na prática.

Para Ronald Dausha, presidente do Centro de Linhas Avançadas em Inovação, Excelência e Qualidade (CLAEQ), a Indústria 4.0 apresenta um conjunto de possibilidades que, bem somadas, vão trazer ganhos para o setor industrial. Segundo ele, a manufatura avançada potencializa a sustentabilidade, flexibilidade e competitividade. Sua implementação deve ser feita em etapas, começando com um planejamento estratégico e passando por pontos importantes como pesquisa, desenvolvimento e inovação, gestão de qualidade e produtos, logística e pós-venda, e fornecedores.

Daniel Duarte, diretor técnico da Sinapsis Energia, destacou que o investimento em inovação é uma estratégia importante para combater a crise. “É preciso convencer as empresas de que a inovação tecnológica não é mais uma questão de escolha e sim de sobrevivência”, disse. Ele ainda acrescentou que este novo cenário nasceu de um movimento social. “A sociedade mudou. Estamos vivendo um momento de transformação social que impacta na forma de consumir e na indústria”, concluiu. Também da Sinapsis, Diogo Baldissini falou sobre realidade aumentada, extensão do ambiente real pela sobreposição e interação de objetos virtuais.

O encontro terminou com a apresentação de Sérgio Savane, consultor da SAE Brasil, que citou as estratégias de mercado para aplicações Iot e Indústria 4.0. Ele também destacou a importância da segurança da informação citando os recentes ataques de hackers que atingiram empresas no mundo todo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544474378

Ronald Dausha, presidente do CLAEQ, pontuou que a Indústria 4.0 apresenta um conjunto de possibilidades que, bem somadas, vão trazer ganhos para o setor industrial. Foto: Helcio Nagamine.