Inicio do conteudo

Inspeção veicular colabora para melhoria da qualidade do ar

Especialistas defendem sensoriamento remoto como modelo mais eficaz em reunião do Conselho Superior de Meio Ambiente da Fiesp

A reunião do Conselho Superior de Meio Ambiente (Cosema) da Fiesp desta terça-feira (22/10) apresentou aos seus conselheiros os grupos de trabalho sobre qualidade do ar: combustíveis menos poluentes e inspeção veicular. O tema, que vem sendo discutido pela Fiesp com especialistas no decorrer do ano, tem o objetivo de mostrar a importância de serem criadas políticas públicas nesse sentido.

“Esses programas precisam ser vistos como políticas de estado e não como ações de governo. São essenciais para a melhoria de qualidade e proteção da saúde pública”, avaliou Alfred Szwarc, coordenador dos grupos de trabalho e conselheiro do Cosema.

Glaucia Savin, presidente da Comissão de Meio Ambiente da OAB/SP, lembrou que a poluição atmosférica causa 560 mortes por ano. “Muito mais que as mortes, temos as doenças respiratórias, que atingem principalmente crianças e idosos. O que a gente tem defendido como OAB é a implementação da inspeção obrigatória, que é um dever do Estado”.

O modelo de sensoriamento remoto é o defendido pelos especialistas que estiveram na reunião. É um equipamento inédito para medição de gases veiculares, com capacidade de avaliar as emissões em situações de uso real, permitindo a identificação de veículos com boa manutenção e emissão baixa ou com emissão muito alta para os padrões originais. A tecnologia foi desenvolvida nos Estados Unidos e mais recentemente foi implementada em várias cidades europeias.

Para o consultor Gabriel Branco, da Enviromentality, o monitoramento e a triagem de veículos são excelentes, com custo de 10% de uma inspeção tradicional, sem trazer incômodos aos usuários e ao trânsito. “20 equipamentos dariam conta da frota de São Paulo. Daria para fazer a medição de 5 mil veículos por dia, dependendo do tráfego da rua”, avalia Branco.

Estiveram presentes também no Cosema: Renato Simenauer, do Sindipeças, e Luiz Sergio Alvarenga, diretor executivo do Sindirepa Nacional.  A reunião foi presidida por Eduardo San Martin.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1574398708

Especialistas defendem modelo de sensoriamento remoto para inspeção veicular. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp