Indústria paulista corta 25.500 vagas em novembro

Resultado frustra expectativa de atenuação da queda no ritmo de demissões

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

Novembro foi mês ruim para o emprego na indústria de São Paulo, com 25.500 demissões a mais que admissões no período, variação de -1,14% (sem ajuste sazonal) em relação a outubro. Os dados são da Pesquisa de Nível de Emprego do Estado de São Paulo, feita pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp e do Ciesp (Depecon) e divulgada nesta quinta-feira (15/12).

Pela primeira vez em 2016 foram mais de 20.000 cortes de vagas num mês. O número ficou acima do que era esperado, parte em função de demissões no setor de açúcar e álcool, provocadas pelo fim da safra de cana.

A expectativa, explica Guilherme Moreira, gerente do Depecon, era de novembro seguir o movimento de outubro, com uma atenuação da queda do nível de emprego, mas isso não aconteceu. “Jogou um balde de água fria.”

Na variação acumulada do ano a situação de 2016 (-5,03%) é um pouco melhor que a do mesmo período de 2015 (-7,18%).

Somando as perdas de 2014 e 2015 e a expectativa para o fechamento do ano de 2016, temos mais de 500.000 demissões na indústria paulista. “E não enxergamos uma forte recuperação ano que vem”, diz Moreira.

Só um setor, o de informática, produtos eletrônicos e ópticos, teve saldo positivo de vagas, com 1.477 contratações a mais que demissões (variação de 2,54% em relação a outubro).

Regiões

O levantamento feito seguindo o agrupamento das diretorias regionais do Ciesp mostra queda do nível de emprego em 31 delas, de um total de 36. Houve alta em apenas 2 (Jacareí, 1,25%, e Santo André, 0,87%), e 3 ficaram estáveis. As maiores quedas ocorreram em Jaú (-8,12%) e em Sertãozinho (-7,24%).

Clique aqui para ter acesso ao levantamento completo e à série histórica.