Inicio do conteudo

Indústria 4.0 e integração das cadeias regionais de valor são oportunidade para Brasil e Argentina 

Rafael Cervone conduziu encontro entre embaixador da Argentina, governador de Buenos Aires e empresários dos dois países 

Mayara Moraes, Agência Indusnet Fiesp

Rafael Cervone, 3º vice-presidente da Fiesp e do Ciesp, celebrou o encontro que reuniu o governador da Província de Buenos Aires, Axel Kicillof, o embaixador da Argentina, Daniel Scioli, e cerca de 70 empresários de ambos os países. Representantes da indústria e dos setores de comércio e serviço estavam presentes na reunião desta quarta-feira (3/10) que abordou o panorama político-econômico bilateral e o ambiente de negócios entre os dois países. 

“Aqui, nós temos a província de Buenos Aires, que é a principal província argentina, e o estado de São Paulo, que também tem uma força muito grande na nossa nação. Então, a gente pode integrar cada vez mais essa força de trabalho e de pessoas e trazer oportunidades para os dois países”, disse Cervone. 

Segundo o empresário, a pandemia de Covid-19 acelerou a introdução de uma série de tendências, tecnologias e mudanças de negócios. Ele sugeriu que manufatura avançada e indústria 4.0, por exemplo, sejam questões que permaneçam no radar das negociações entre os dois países.  

Imagem relacionada a matéria - Id: 1638791066

Fotos: Ayrton Vignola/Fiesp

“Aqui, nós temos as unidades do Sesi-SP e do Senai-SP que trabalham essa questão da capacitação profissional intensamente, e acho que isso pode ser um tema relevante para a nossa relação bilateral, assim como a integração das cadeias regionais de valor”, afirmou o vice-presidente da Fiesp e do Ciesp. “A Covid também mostrou que os países, os governos, os municípios e os negócios estão questionando um pouco essa questão de excesso de concentração na Ásia, e esse é o ponto que a gente pode focar hoje”, acrescentou.

Hoje, o Ministério da Economia do Brasil divulgou que, em outubro de 2021, as exportações argentinas para o Brasil foram de US$ 1,22 bilhão, e as exportações brasileiras foram quase US$ 1,13 bilhão. Naquele mês, a corrente de comércio bilateral atingiu US$ 2,34 bilhões, representando um aumento de 44% em relação ao mesmo mês de 2020.

“Nosso objetivo é sair da pandemia criando indústria, aumentando a produção e gerando empregos e, para isso, contamos com empresários argentinos e brasileiros”, disse Axel Kicillof. “Vamos fazer tudo que estiver ao nosso alcance para que a província de Buenos Aires seja uma segunda pátria para as empresas brasileiras”, acrescentou o governador argentino.