Inicio do conteudo

Indicadores da atividade industrial paulista recuam em março, aponta Fiesp

Sensor recua para 34,0 pontos em abril e indica expressiva queda para o mês

A atividade industrial paulista recuou em março, com as vendas reais e as horas trabalhadas na produção caindo 5,1% e 4,8% com ajuste sazonal, respectivamente. Os salários reais médios exibiram estabilidade (-0,1%), e o nível de utilização da capacidade instalada (NUCI) atingiu 74,7%, excluídos os efeitos sazonais, recuando 0,9 p.p. frente ao mês anterior. Os dados são do Levantamento de Conjuntura divulgados nesta segunda-feira (04/05), pela Federação e pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp).

Refletindo de forma mais clara as medidas de distanciamento social, o Sensor do mês de abril apresentou queda expressiva, fechando em 34,0 pontos, na série com ajuste sazonal. O resultado está bem abaixo do obtido em março quando o Sensor registrou 47,3 pontos, o que indica forte retração da atividade industrial paulista em abril.

O item Mercado apresentou expressiva redução, passando de 44,7 no mês anterior para 28,2 pontos em abril, apontando piora das condições de mercado no período. As Vendas seguiram a mesma direção ao registrar 30,6 pontos ante os 46,5 pontos de março. Ao distanciar-se dos 50 pontos, o indicador aponta queda das vendas no mês.

Os componentes que mensuram o Estoque, o Emprego e os Investimento também sofreram forte contração em abril. Estoque passou de 49,7 pontos para 38,6 pontos, Emprego foi de 49,4 pontos para 44,7 pontos e Investimentos 45,9 pontos para 28,5 pontos em abril. As leituras abaixo de 50,0 pontos indicam que há aumento dos estoques, queda do emprego e dos investimentos no quarto mês do ano.