Inicio do conteudo

Fiesp/Ciesp acompanha, em Paris, defesa de candidatura de São Paulo à Expo 2020

Entidades da indústria apoiam a disputa pela sede do evento, considerado o maior em termos de impacto cultural e econômico depois da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos

O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, desembarcou nesta segunda-feira (10/06) em  Paris, na França, para acompanhar a defesa da candidatura de São Paulo à sede da Exposição Universal em 2020, a Expo 2020.

Da esquerda para a direita: Skaf, Temer e Alckmin: apoio à candidatura de São Paulo. Prefeito Fernando Haddad também compareceu ao evento. Imagem: Junior Ruiz/Fiesp

Skaf, Temer e Alckmin: expectativa e apoio à candidatura de São Paulo. Imagem: Junior Ruiz/Fiesp

Skaf participou de coquetel oferecido por São Paulo aos delegados do Bureau Internacional de Exposições (BIE), organismo que irá escolher a cidade-sede. O compromisso aconteceu no Palácio de Chaillot, às 19h (hora local), com a presença do vice-presidente da República, Michel Temer; do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin; do prefeito da capital paulista, Fernando Haddad; e do embaixador do Brasil na França, José Maurício Bustani, entre outras autoridades. O encontro teve um show da cantora Daniela Mercury.

Nesta terça (11/06), o presidente da Fiesp/Ciesp participa, novamente ao lado de Temer, Alckmin e Haddad, de um jantar oferecido pelo embaixador Bustani. Na quarta (12/06), às 11h05 (hora local), Skaf acompanha a apresentação da candidatura paulistana à sede da Expo 2020.

Concorrem com São Paulo as cidades de Dubai (Emirados Árabes Unidos); Ecaterimburgo (Rússia) e Izmir (Turquia). O anúncio com o nome da cidade-sede está programado para novembro deste ano.

A Expo 2020 é o terceiro maior evento internacional em termos de impacto cultural e econômico, atrás apenas da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos.

“Caso São Paulo seja a escolhida, será a primeira cidade da América Latina a sediar o evento”, reforça Skaf em artigo publicado nesta segunda-feira (10/06) no Diário de São Paulo e nos jornais da Rede Bom Dia.

Em março, a Fiesp recebeu a missão do comitê do BIE com o objetivo de inspecionar a candidatura de São Paulo em uma série de encontros que tiveram representantes do poderes público municipal, estadual e federal. Na ocasião, o espanhol Vicente Loscertales, secretário-geral do BIE, disse que a realização da Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016 no Brasil credenciam São Paulo como potencial sede da Expo 2020.


Skaf e Loscertales: apoio da Fiesp à Expo 2020 em São Paulo. Foto: Junior Ruiz/Fiesp

Skaf e Loscertales: apoio da Fiesp/Ciesp à Expo 2020 na capital paulista. Foto: Junior Ruiz/Fiesp



O apoio da Fiesp vem de 2012. Em maio, o presidente da entidade, Paulo Skaf, recebeu o secretário-geral do BIE, Vicente Loscertales, e o acompanhou em visita à Brasília para um encontro com o vice-presidente da República, Michel Temer.

No início de outubro de 2012, a Fiesp assinou acordo de cooperação técnica com a prefeitura de São Paulo para a Expo 2020.

A candidatura
Com o tema “Força da Diversidade, Harmonia para o Crescimento”, a candidatura de São Paulo será apresentada pela diretora e atriz portuguesa Maria de Madeiros – conhecida por filmes como “Pulp Fiction” e “Xangô de Baker Street”, entre outros.

A proposta brasileira defende a promoção de um espírito de amor, tolerância e generosidade que inspira a cultura brasileira e a criação de novas alianças, entendimentos e parcerias em busca de uma globalização mais igualitária com bem estar e segurança para todos.

Se vencer a disputa, São Paulo pode receber mais de 30 milhões de visitantes de todo o mundo entre os dias 15 de maio a 15 de novembro de 2020, período de realização da exposição.

Para isso, um terreno de cinco quilômetros quadrados localizado no bairro de Pirituba receberá um projeto que transformará a região noroeste da cidade no maior pólo cultural e de atração de feiras e eventos na América Latina.

O terreno do futuro Centro de Exposições já foi declarado de utilidade pública para desapropriação. O local compreenderá uma extensão equivalente a quatro vezes o tamanho do Anhembi, atualmente o maior centro de exposições da cidade.

A proposta é que o projeto tenha como legado para a cidade um parque municipal com equipamentos de esportes, cultura e lazer, além de uma reserva ambiental natural. Para facilitar a mobilidade ao local, serão construídas novas estações do Metrô e da CPTM, além de alças de acesso rodoviário.

Por se tratar de um evento nacional, a oficialização da candidatura foi feita por meio da entrega de carta assinada pela presidente Dilma Rousseff, em 28 de outubro de 2011, ao BIE, órgão regulamentador dessas exposições. A delegação do BIE realizou a visita de inspeção a São Paulo entre os dias 11 e 14 de março.

Sobre a Expo

As Exposições Universais surgiram no século 19, na Europa, para estimular a inovação, a pesquisa científica e o desenvolvimento tecnológico, tão importante para o progresso humano. São realizados a cada cinco anos com seis meses de duração.

Além de divulgar e promover ciência, técnica, arte e cultura, as Expo eram um encontro de negócios que visava fomentar a indústria e promover apresentações públicas de novas invenções. Entre as importantes invenções que esses eventos já apresentaram ao público estão o telefone, de Graham Bell, o elevador de Otis e a máquina de escrever Remington.

As Expo também deixaram um importante legado arquitetônico que se tornaram símbolos para as cidades-sede como a Torre Eiffel (Paris), o Space Needle (Seatle) e o Unisphere (Nova York).

Para a maior metrópole brasileira, a previsão é de que seja construída uma torre de observação e de geração de energia renovável, projetada especialmente para o evento e instalada no ponto mais elevado da parte montanhosa da região, ao norte da área da Expo de São Paulo.

 Agência Ciesp de Notícias