Inicio do conteudo

Comércio digital deve integrar múltiplas plataformas

Presidente da Riachuelo diz, em reunião da Fiesp, que o empresário que não pensar fora da caixa tende a ficar fora do jogo

Alex de Souza, Agência Indusnet Fiesp

A pandemia trouxe alguns aprendizados importantes, segundo Flávio Rocha, presidente do Conselho de Administração da Companhia Guararapes-Riachuelo. Um deles é que os empresários se aproximaram de seus fornecedores; outro, que o avanço tecnológico sem precedentes deve servir para impulsionar os negócios. Rocha foi o convidado especial para a reunião plenária do Comitê da Cadeia Produtiva da Indústria Têxtil, Confecções e Vestuário (Comtextil), realizada na tarde de terça-feira (24/11), e conduzida pelo diretor titular do Comitê, Elias Miguel Haddad.

As limitações impostas pela crise que surpreendeu o mundo também trouxeram muitas oportunidades, de acordo com o líder empresarial. “E levou muita gente a repensar os negócios e abrir os olhos para as oportunidades que surgiram. E quem não mudar junto, vai ficar para trás, porque a rede de moda como conhecemos hoje é um modelo em extinção”.

Rocha entende que as empresas precisam apoiar seu tipo de negócio em diversas plataformas, sendo essencial estar presente no mundo digital. “Isso não quer dizer que as lojas físicas sejam irrelevantes, mas não basta trazer o escopo da loja física, estática, para o mundo digital, e quem fizer isso tende a ficar fora do jogo. É preciso pensar fora da caixa, integrar estratégias, trabalhar mais perto de fornecedores e até mesmo dos próprios concorrentes”, pontuou, acrescentando que a economia não é mais linear. “A economia é pulverizada por meio de diversas plataformas, e a tecnologia conecta tudo. Estamos diante de uma economia cooperativa”, disse.

Segundo ele, a pandemia acelerou a digitalização e quebrou a resistência que parte dos consumidores tinham em relação ao comércio eletrônico. Ao falar sobre o super app Riachuelo, Rocha afirmou que os vendedores que utilizaram o recurso aumentaram 20 vezes o número de vendas que realizavam nas lojas físicas. “Hoje temos 325 Centros de Distribuição (CDs) de e-commerce, pois as lojas se tornaram CDs para o cliente, que hoje tem a opção de comprar no digital e retirar seu produto nas lojas físicas. Estamos diante de várias transformações”, explicou.

Sobre as mudanças em curso, o presidente da Riachuelo citou algumas novidades importantes que vieram para impactar positivamente o comércio, tais como o Pix, o Cadastro Positivo, o Open Banking e a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Aliás, sobre esse último vale lembrar que o Senai-SP acaba de lançar curso on-line gratuito. Para saber mais sobre o curso LGPD – Privacidade e Proteção de Dados, leia a matéria completa.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1611133989

Para Flávio Rocha, a pandemia acelerou a digitalização e quebrou a resistência que parte dos consumidores tinham em relação ao comércio eletrônico. Foto: Fiesp