Inicio do conteudo

Cai nível de atividade na construção, mas perspectivas melhoram

Sondagem da Construção do Estado de São Paulo mostra aumento da Utilização da Capacidade de Operação em setembro

Agência Indusnet Fiesp

O nível de atividade do setor de construção de São Paulo voltou a apresentar queda na passagem mensal –de agosto para setembro- após um mês de avanço. O indicador passou, nesta leitura, de 45,0 para 42,8 pontos, abaixo da linha de estabilidade (50,0 pontos), permanecendo em contração.

No que se refere à mensuração da Atividade em Relação ao Usual, o indicador cresceu de 30,1 para 32,2 pontos, ainda com sinalização de forte contração.

Os dados são da Sondagem da Construção do Estado de São Paulo, levantamento feito pela CNI e pela Fiesp, com o apoio da Câmara Brasileira da Indústria da Construção e do Sindicato da Indústria da Construção Pesada do Estado de São Paulo. O resultado foi divulgado nesta sexta-feira (27 de outubro).

O índice de Número de Empregados, após ter alcançado o maior patamar desde junho de 2014, com expressiva expansão no mês anterior (de 36,1 para 43,5 pontos), recuou neste mês para o patamar de 40,2 pontos.

A Utilização da Capacidade de Operação (UCO), por sua vez, cresceu para 56,0%, ante 53,0% de agosto, atingindo assim a maior porcentagem desde outubro de 2016.

No sentido oposto, as expectativas apresentaram um aumento generalizado de pontuação entre seus indicadores. A perspectiva para o Nível de Atividade subiu de 47,8 pontos em agosto para 51,7 em setembro, enquanto o indicador Compras de insumos e Matérias-Primas foi de 46,9 para 48,3 pontos na passagem mensal. Também em Novos Empreendimentos e Serviços o desempenho foi positivo e subiu de 45,4 pontos registrados em agosto para 53,1 pontos nesta leitura.

Por fim, a variável de expectativas para o Investimento para os próximos seis vezes teve forte aumento de pontuação na passagem mensal, passando de 23,7 para 26,3 pontos, mas continua ainda a sinalizar forte contração.