Inicio do conteudo

Ajuste fiscal deve ser feito no corte das despesas do governo, afirma Skaf

Texto-base da medida provisória que endurece regras de acesso a benefícios trabalhistas foi aprovada na véspera pela Câmara dos Deputados

O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, voltou a afirmar nesta quinta-feira (7/5) que o ajuste fiscal deve ser feito principalmente pelo corte das despesas do governo. O texto base da MP 665, medida que endurece as regras de acesso a diversos benefícios trabalhistas, foi aprovado na véspera pela Câmara dos Deputados.

“Eu quero saber do ajuste fiscal no que diz respeito a cortes das despesas do governo e até agora eu não vi”, disse Skaf após encontro com o Ministro de Comércio Exterior e Investimento Estrangeiro de Cuba, Rodrigo Malmierca.

O presidente das entidades reiterou que o setor produtivo não está de acordo com o fim da desoneração da folha de pagamento, uma das medidas pretendidas pelo governo como parte do ajuste.

“Vamos ter alguns embates como o da desoneração da folha de pagamento. Não vamos aceitar que retroajam nessa desoneração que, sem dúvida, ajudou a melhorar um pouco a competitividade das empresas brasileiras”, afirmou.

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp