Inicio do conteudo

Ciesp e Fiesp fazem estimativa de crescimento de 0,5% do PIB em 2015

PIB da indústria deve crescer apenas 0,1% no próximo ano

A economia brasileira, que amargou uma recessão técnica no primeiro semestre do ano, deve encerrar 2014 com um tímido crescimento de 0,1%. E para o próximo não é esperada uma recuperação que resulte em uma alavancada do Produto Interno Bruto (PIB). As estimativas são da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp).

Durante a divulgação do balanço de 2014 e das perspectivas para 2015, a direção das entidades fez uma estimativa de ligeiro crescimento de 0,5% do PIB em 2015.

A projeção do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Fiesp e do Ciesp para o PIB da indústria é de queda de 1,7% em 2014 e aumento de 0,1% em 2015.  `

“Estamos preocupados porque estamos saindo de um ano sem crescimento, com crescimento negativo da indústria de transformação, para um ano de pouco crescimento”, disse o presidente das entidades, Paulo Skaf, em almoço com jornalistas na tarde desta quinta-feira (11/12).

A indústria extrativa mineral deve ser a única a apresentar um crescimento mais expressivo no final de 2014 e em 2015, com aumento de 6,6% e 5,2% do PIB respectivamente.

Já o PIB da indústria de transformação deve fechar o ano com queda de 3,5%. A previsão do Depecon para o PIB do setor em 2015 também é de queda, 1,1%. Enquanto o PIB do segmento agropecuário deve ficar estagnado em 2014 e 2015 em uma variação positiva de 0,9%, também de acordo com a equipe de economia da Fiesp e do Ciesp.

A atividade da indústria paulista deve encerrar 2014 negativa em 5,4%. O prognóstico para 2015 também arrefecimento do desempenho do setor, com uma taxa negativa prevista em 1%.

A tendência de queda também permanece para mercado de trabalho da indústria paulista para o próximo ano. Em 2014, o emprego industrial deve mostrar recuo de 5,4%, seguido por queda de 1,2% em 2015.

O Depecon também projeta queda para o emprego e para a produção industrial do Brasil. Segundo o departamento, a PIM-Brasil, pesquisa de produção física do setor industrial medida pelo IBGE, deve anotar uma baixa de 2,7% em 2014 e de 0,6% em 2015.  E o emprego no setor manufatureiro do país deve ficar negativo em 3,6% em 2014 e 1,8% em 2015.

Consumo e Investimento

O consumo das famílias deve apresentar queda de 2014 para 2015. Segundo as projeções do Depecon, o consumo deve mostrar alta de 1,3% em 2014, mas a variação, ainda que positiva, deve diminuir para 0,8% no próximo ano.

Ao longo do ano, a Fiesp alertou para a significativa queda de investimentos na economia brasileira. Em 2013, a Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), medida do que se investe em máquinas e equipamento, apresentou uma variação positiva de 5,2%. Mas é esperada uma queda de 7,1% em 2014 e recuo de 1,5% em 2015.

Setor externo

A equipe de economia da Fiesp espera um saldo negativo de US$ 2,6 bilhões da Balança Comercial em 2014. Já para 2015, é estimado um saldo positivo de US$ 7,9 bilhões.

As exportações devem apresentar queda de 6,1% em 2014 e ligeiro crescimento de 1,1% no próximo ano. O prognóstico do Depecon para as importações é de queda de 4% em 2014 e de 3,5% em 2015.

De acordo com Paulo Skaf, o motivo principal para os números positivos é um esperado recuo das importações por conta de um dólar a níveis mais elevados.

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp