Prefeitura de Jundiaí, em parceria com o SEBRAE, vai auxiliar 6 mil empreendedores

 

Thiago (Sebrae), prefeito Luiz Fernando e Parimoschi

Focado na preservação das vidas, o Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus (CEC) em Jundiaí também segue atento para colocar em prática estratégias que auxiliem os setores econômicos da cidade afetados pela pandemia. O programa Jundiaí Empreendedora, parceria entre a Prefeitura e o SEBRAE, teve seu lançamento neste sábado (25), no Paço Municipal, para fortalecer este propósito. O público-alvo são 6 mil trabalhadores, divididos entre microempreendedores individuais, microempresas, empresas de pequeno porte, médias e grandes empresas, além de futuros empreendedores, dos segmentos de indústria, comércio, serviço, turismo, agronegócio e artístico. O cronograma reúne 140 ações, com atividades iniciadas já na segunda-feira (27) e que prosseguem até o mês de dezembro.

De acordo com o prefeito Luiz Fernando Machado, Jundiaí tem orientado todas as suas ações com respaldo técnico, seja no monitoramento constante do cenário epidemiológico ou nos impactos gerados pela crise junto aos setores da economia. “O vírus não está indo embora. É certo que continuará a circular nos próximos períodos. Por isso, não podemos atuar de forma dissociada”, afirma o prefeito. “Temos a Saúde focada no monitoramento do cenário epidemiológico, volume de contágio e na capacidade hospitalar, para dar respostas rápidas. Ao mesmo tempo, há esforços para responder a outras consequências de ordem social e econômica trazidas pela crise”, afirma.

Neste sentido, a administração municipal se antecipou, ainda no mês de março e ao longo de todo o processo, para reestruturar o sistema de Saúde e, já no início desta semana, foi apresentada a iniciativa de segurança alimentar direcionada às famílias em vulnerabilidade da cidade, sem perder o objetivo de manter o isolamento social, em plena vigência em Jundiaí.

Na prática - Todo o planejamento do programa está voltado para apresentar respostas e alternativas de atuação frente às principais mudanças que a crise provoca na vida do empreendedor. Cursos de capacitação, orientações para obtenção de crédito e plataforma online para resolução de dúvidas são algumas das ações que o Jundiaí Empreendedora passa a oferecer para 6 mil empreendedores. Somente em capacitação para novos empreendedores, no curso de ‘SuperMEI’, serão 1,6 mil vagas. Também são esperadas cerca de 300 participantes na iniciativa conhecida como ‘1000 Mulheres’ – com aulas em ambiente virtual -, e 14 mil alunos a serem envolvidos na ação ‘Jovens Empreendedores’, direcionado para os alunos da Rede de Educação do município.

À frente da coordenação do programa, o gestor da Unidade de Gestão de Governo e Finanças (UGGF), José Antonio Parimoschi, explica que a iniciativa cumpre a estratégia mista, modulada e pactuada para equilibrar prioridade à vida com retomada econômica. “O programa é classificado como essencial diante das previsões de retração na economia brasileira em 2020, estimada em torno de 5%, segundo projeções do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial. As dificuldades, portanto, serão grandes, e há necessidade de um planejamento local para atravessar este período de recessão”, considera o gestor, que ainda ressalta as metas de manutenção de empregos e empresas, para que o impacto negativo seja mitigado.

Neste sentido, Parimoschi cita o Banco do Povo, que conta com R$ 2,5 milhões para empréstimos para os empreendedores alavancarem vendas, investir em inovação ou capital de giro. A Prefeitura ainda implementa o Portal da Empregabilidade – desenvolvido pela Companhia de Informática de Jundiaí (CIJUN) -, que será um canal entre os empresários que precisam de mão de obra e os trabalhadores com buscam por novos recolocações. As inscrições estarão disponíveis no site da Prefeitura de Jundiaí, a partir de segunda-feira (27).

O gerente Regional do Sebrae Jundiaí, Thiago Farias, explica que as ações terão início na segunda-feira (27), com as inscrições para aulas online, direcionadas para vendas, controle de caixa, crédito, renegociação de dívidas e como inovar no atendimento ao cliente. “As ações imediatas serão pelo programa ‘Enfrente’, com atividades práticas online, modulares e intensivas para que o empreendedor tenha acesso a ferramentas que o auxiliarão neste momento de crise. Além disso, as capacitações ainda contemplam cursos rápidos de Educação à distância em cinco setores: indústria, comércio, serviços, turismo e agronegócio”, destaca o gerente. O investimento do Sebrae para a oferta de cursos gratuitos é de R$ 1,2 milhão, para essa primeira fase. A apresentação completa sobre o programa pode ser consultada no ícone “Coronavírus”, da página  da Prefeitura de Jundiaí. 

O Jundiaí Empreendedora tem o apoio de 20 organizações: Conselho Municipal de Turismo, TVTEC, CIJUN, EGP, ACOMAC, CDL, Sincomercio, Proempi, CONT, ACE, Fundo Social de Solidariedade, SESC, SENAI, SENAR, SESI, SENAC, CIESP e SEBRAE, Sindicato dos Metalúrgicos, Sincomerciários e Núcleo de Gastronomia de Jundiaí.

Fonte: Prefeitura de Jundiaí

Comente