‘Praia’ de Cubatão ganha melhorias

Segundo Pedro Hildebrando da Silva (ao microfone), o plano vai organizar o uso do parque

Anglo American destina R$ 1,8 milhão para ser aplicado até 2015 na gestão ecológica do Rio Perequê, ponto turístico da Cidade

Considerado a praia de Cubatão pela qualidade das águas de rio frequentadas por cerca de 5 mil de pessoas por mês, no verão, o Parque Ecológico do Rio Perequê passará, pelos próximos 180 dias, por uma série de mudanças para melhorar o atendimento público e preservar a vegetação e a fauna.

A Prefeitura de Cubatão, com apoio da Anglo American, indústria local que destinou
R$ 1,8 milhão para o projeto chamado Programa Cubatão Sustentável, iniciará a implantação prática do primeiro plano de manejo elaborado pelo Centro de Capacitação e Pesquisa em Meio Ambiente (Cepema) da Universidade de São Paulo (USP).

O parque fica dentro da região protegida da Serra do Mar, com acesso a partir do Km 267 da Rodovia Cônego Domênico Rangoni, sentido sul. Ocupando uma área de 168 hectares, vai do trecho reservado a banhos de rio até a altura da vegetação primitiva,
nas encostas acima da Cota 40, em plena região serrana, exibindo 95 espécies vegetais nativas da Mata Atlântica e 183 espécies de animais (sendo 26 endêmicas, ou seja, exclusivas dessa região).

O documento técnico foi elaborado pela entidade ligada à USP, com o apoio da Prefeitura de Cubatão, e financiado pela Anglo American, via Termo de Ajustamento de Conduta acordado com o Ministério Público e Cetesb, como forma de compensação ambiental. O plano tem o intuito de planejar a gestão e o uso sustentável dos recursos naturais no interior da Unidade de Conservação, um dos principais equipamentos
turísticos e ambientais da Baixada Santista.

“Pela primeira vez, implantaremos um plano de manejo que vai permitir o uso por banhistas e reservar espaços para a recuperação ambiental da área e a sobrevivência de animais silvestres”, explica o secretário municipal de Meio Ambiente, Pedro Hildebrando da Silva. Segundo o gestor do parque, Victor Fernandes Borges, o estudo encerra uma luta ambiental de muitos anos: “Muitos gestores e autoridades trabalharam por esse plano, que reconhece e estabelece as vocações do Perequê como importante reserva ambiental e parque ecológico. É um grande passo do governo”.

O plano foi orientado pelo coordenador do Cepema, Cláudio Oller. “As piscinas naturais
do Rio Perequê, chamadas pela população de praia do Cubatão, são, desde antes mesmo da criação do parque, uma das principais referências de recreação da Cidade, que é a única da Baixada Santista que não é banhada diretamente pelo mar. E, agora,
tem como ser melhor organizada, à altura da Cidade”.

O documento foi tornado público nesta semana, com a participação de Roberto Fernandes, da Anglo American, Carlos Alberto Benincasa, secretário de Emprego e Desenvolvimento, Fábio Inácio, secretário de Governo e Valmir Ruiz, gerente da regional do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp).

Compromisso com programa sustentável

A elaboração do Plano de Manejo é um dos itens de um compromisso socioambiental
assumido pela Anglo American e chamado de Programa Cubatão Sustentável. O valor
de R$ 1.8 milhão vem sendo aplicado ao longo dos cinco anos do projeto (de 2011 a
2015).

Especialista de Meio Ambiente, Roberto Anjos Fernandes coordena a parceria juntamente com a USP. “É importante ressaltar que o diferencial desse nosso compromisso foi mais do que realizar ações socioambientais. Teve como principal motivação a oportunidade de promover a restauração e conservação dos recursos
naturais dessa área ambiental e social na qual estamos inseridos”.

A proposta está integrada ao Programa de Jovens, Meio Ambiente e Integração Social
(PJMais). “Isto é proporcionado por meio desse programa educacional e profissionalizante, que inclui a participação desses jovens nas atividades. Além da elaboração do Plano de Manejo temos a implantação e operação de um viveiro de mudas nativas instalados no parque, o reflorestamento e enriquecimento da flora nativa das áreas de conservação do parque e a realização de um estudo de Ecomercado”.

Trilha dá acesso à bela cachoeira Véu da Noiva

Entre as atrações turísticas do parque está uma trilha que dá acesso à cachoeira Véu da Noiva e aos sítios históricos, como o ponto de partida da trilha do Padre José. Trata-se do primeiro caminho aberto na serra pelos jesuítas, na ligação da Baixada com o Planalto e as ruínas de uma edificação.

Desde março de 2011, uma equipe multidisciplinar de 24 pesquisadores do Cepema em
Cubatão, sendo seis deles coordenadores de áreas e 13 bolsistas, três coordenadores e dois integrantes do apoio executivo, atuou na área do parque e levantou dados para a elaboração do plano. Foram executadas várias ações em relação ao mapeamento da fauna e da flora. Todos os dados foram articulados com levantamentos e estudos ligados ao meio físico (água, terra, ar) e também ao uso público consciente e sustentável do parque.

O plano foi entregue pelo professor Claudio Oller ao secretário municipal de Governo, Fábio Oliveira Inácio, representando a prefeita Marcia Rosa. Coordenadora do Programa Cubatão Sustentável e da equipe de Geoprocessamento, Sílvia Sartori, fez
uma apresentação sobre a área do Perequê, equivalente a aproximadamente 160 campos de futebol, com 11,5 quilômetros de perímetro. É possível consultar documentos no http://goo.gl/Y0dj9y.

Parque é uma área de proteção integral

Criado em 1990, o Parque Ecológico do Perequê (PEP) em Cubatão é considerado
uma unidade de conservação e proteção integral, sendo a principal área de lazer da população. Possui 168,59 hectares de área e ocupa boa parte do trecho baixo do Rio Perequê, entre as cotas 10 e 100 metros de altitude. É utilizado como praia devido à facilidade de acesso. Elaborado em 2014, o Plano de Manejo estabelece o zoneamento do parque, as normas que devem regulamentar o fluxo de visitantes e fornece bases para o gerenciamento dos recursos naturais e para a implantação das estruturas físicas
necessárias à gestão da unidade.

Essas informações devem ajudar a traçar regras de utilização visando preservar e conservar a área. Segundo Pedro Hildebrando da Silva, secretário de Meio Ambiente, outro plano de manejo está em andamento, com apoio da Usiminas, no Parque Ecológico Cotia Pará, próximo ao Km 56 da Via Anchieta, onde são preservados
sambaquis (mariscos com restos mortais de indígenas, com mais de 3 mil anos) do
litoral. “A concretização do plano de manejo é mais uma ação que vai ao encontro da determinação da prefeita Marcia Rosa de garantirmos o desenvolvimento sustentável da Cidade”.

 

Fonte: Jornal A Tribuna

Comente