Cidade Sede

Bauru: um centro estratégico para investimentos no Estado

Bauru √© um munic√≠pio localizado a noroeste da capital do estado de S√£o Paulo, distando desta cerca de 326 km. Ocupa uma √°rea de 673,488 km¬≤, sendo que 68,9769 km¬≤ est√£o em per√≠metro urbano e os 604,51 km¬≤ restantes constituem a zona rural. Em 2011 sua popula√ß√£o foi estimada pelo IBGE em 346.076 habitantes, sendo que em 2010 era o 18¬ļ mais populoso de S√£o Paulo. Tem uma temperatura m√©dia anual de 22,6¬įC e na vegeta√ß√£o original do munic√≠pio predomina a mata atl√Ęntica ‚Äď cerrado.

No coração do Estado

Bauru assume papel relevante no contexto econ√īmico do centro-oeste paulista. O munic√≠pio apresenta PIB da ordem de R$4,7 bilh√Ķes e uma renda m√©dia per capita acima de tr√™s sal√°rios m√≠nimos.

O √ćndice de Desenvolvimento Humano (IDH-M), que mede a qualidade de vida da popula√ß√£o, supera a m√©dia dos munic√≠pios paulistas e atinge 0,824.

Uma regi√£o potencializada geograficamente, onde a estrutura log√≠stica facilita o escoamento de suas produ√ß√Ķes, abrindo possibilidades de investimentos em virtude da macro conex√£o rodo, hidro, f√©rreo e aerovi√°ria ‚Äď consolidada atrav√©s do entroncamento ferrovi√°rio, Hidrovia Tiet√™/Paran√°, Aeroporto Moussa Tobias, EADI (Esta√ß√£o Aduaneira do Interior) e seis rodovias estaduais de acesso ‚Äď que transforma Bauru e Regi√£o numa integra√ß√£o progressista.

História

A história da cidade não pode deixar de estar vinculada à Estrada de Ferro Noroeste do Brasil. Mas Bauru já existia antes da passagem dos trilhos por aqui.

No s√©culo XIX, a express√£o ‚Äúsert√£o bruto‚ÄĚ era usada com refer√™ncia √† regi√£o que a cidade ocupa hoje. A conquista do Oeste do pa√≠s tem hist√≥rias parecidas. Bauru foi mais um lugar onde desbravadores brancos ‚Äď os bandeirantes ‚Äď lutavam com √≠ndios pela posse do territ√≥rio. A terra era ocupada pelos ind√≠genas Kaiagang, que emprestaram um voc√°bulo de sua l√≠ngua para dar nome √† cidade. Na l√≠ngua deles, Bauru quer dizer ‚Äúcesto de frutas‚ÄĚ.

Os primeiros desbravadores que vieram para a regi√£o foram Felic√≠ssimo Antonio Pereira e Antonio Teixeira do Esp√≠rito Santo. No documento de legaliza√ß√£o das terras de Felic√≠ssimo, o nome de Bauru apareceu, oficialmente, pela primeira vez. Em 1884, quase trinta anos ap√≥s sua chegada, Antonio Teixeira do Esp√≠rito Santo decidiu doar uma parte das terras de sua Fazenda das Flores para a forma√ß√£o do patrim√īnio de S√£o Sebasti√£o do Bauru. No dia 1¬ļ de agosto de 1896, Bauru foi elevada √† condi√ß√£o de vila.

Quase dez anos depois, em 1905, a cidade recebeu sua primeira ferrovia: a Estrada de Ferro Sorocabana, que ligava Bauru a São Paulo. Foi o início do crescimento populacional na região. Além da chegada dos operários, que trabalharam na construção das linhas, o comércio local teve ganhos e houve incentivo à migração.

Em 1906, a Estrada de Ferro Noroeste do Brasil (NOB) inaugurou o seu primeiro trecho em Bauru (Bauru ‚Äď Ava√≠), no prolongamento da Sorocabana. O tra√ßado inicial da NOB ia at√© Cuiab√°, no Mato Grosso. Em 1908, o destino da linha foi alterado para Corumb√°, no Mato Grosso do Sul, rumo √†s fronteiras boliviana e paraguaia. O novo caminho √© heran√ßa das bandeiras que rumavam para o Oeste, com a inten√ß√£o de conquistar territ√≥rios desconhecidos. A inaugura√ß√£o da esta√ß√£o final em Corumb√° aconteceu 15 de dezembro de 1952. Sua extens√£o √© de 1.600 quil√īmetros e interliga-se com todos os sistemas ferrovi√°rios de norte a sul do pa√≠s.

Em 1910, com a chegada da Companhia Paulista de Estradas de Ferro, Bauru passou a abrigar um dos maiores entroncamentos ferroviários do interior do continente. Já em 1939, com a conclusão da nova e enorme estação da Noroeste, que englobava também os escritórios da empresa, todos os embarques e desembarques das três ferrovias foram centralizados nessa estação.

Durante a primeira metade do s√©culo XX, Bauru torna-se o principal polo econ√īmico da vasta regi√£o compreendida pelo Oeste Paulista, Norte do Paran√° e Mato Grosso do Sul.

Dado o crescimento populacional da cidade √†quela √©poca, houve a necessidade de investimentos em infraestrutura, principalmente porque o setor industrial viria a se desenvolver no decorrer das d√©cadas de 1940 e 50. Tais aspectos acentuaram a import√Ęncia da imigra√ß√£o estrangeira na composi√ß√£o √©tnica e demogr√°fica atual de Bauru.

√Ārea de abrang√™ncia do Ciesp Bauru:

_Agudos

_Arealva

_Avaí

_Balbinos

_Bauru (cidade sede)

_Boraceia

_Borebi

_Cabr√°lia Paulista

_Cafel√Ęndia

_Duartina

_Espírito Santo do Turvo

_Guaiçara

_Guarant√£

_Iacanga

_Lins

_Macatuba

_Paulist√Ęnia

_Pederneiras

_Pirajuí

_Piratininga

_Pongaí

_Presidente Alves

_Reginópolis

_Sabino

_Uru